Mark Shuttleworth fala sobre a Microsoft

Esse texto foi publicado no br-linux, mas achei muito bom e decidi reproduzir (colar).

Mark ShuttleworthO fundador da distribuição Ubuntu, a mais popular das distribuições de Linux, foi entrevistado por um site sul-africano, e teve oportunidade de falar sobre o seu acordo com a Dell, sobre seu desejo de voltar a morar no continente africano, e sobre toda a situação que a Microsoft vem levantando a respeito de patentes no Linux.

A declaração de Mark Shuttleworth a este respeito é interessante, portanto vou reproduzi-la na íntegra, em tradução livre.

A Novell, distribuidora de Linux, recentemente assinou um acordo controverso com a Microsoft. Qual sua visão sobre isto?

A Microsoft argumenta que o Linux viola suas patentes e que a Novell está pagando pelo privilégio de usar esta propriedade intelectual, e ela ainda diz que todo mundo deveria fazer o mesmo. Assim que a Microsft disse isso, a Novell disse: “Espere um minuto, nós nunca aceitamos nada assim”. As duas partes não entraram em acordo nem mesmo sobre o que foi o objeto do acordo delas.

A Microsoft está pedindo que as pessoas paguem por patentes, mas ela não diz quais são. Se um cara entra em uma loja e diz “Você está em uma vizinhança perigosa, por que você não me paga 20 pratas e eu me encarrego de garantir que você ficará bem”, isso é ilegal. É extorsão. O que a Microsoft vem fazendo com propriedade intelectual é a mesma coisa. É uma grande empresa e eu tenho muita admiração por ela, mas esta não foi uma posição bem considerada.

Então você não faria um acordo?

Não, absolutamente não. Mas chegará o momento em que as pessoas na Microsoft que têm uma visão clara da companhia como participante nesta comunidade, ao invés de um antagonista hostil, vencerão. Neste ponto, eu gostaria muito de trabalhar com a Microsoft. Ela não é um império do mal, é apenas uma companhia com os pés firmemente plantados nos anos 80. Novas lideranças e novos pensamentos podem fazer dela um parceiro mais efetivo para nós.

Mais importante, as pessoas precisam entender que o risco de um processo de patentes associado ao Linux, que é um risco real, é muito maior quando se considera alguém que não seja a Microsoft. Assinar um acordo com a Microsoft não resolve o problema de nenhuma forma. Isto não lhe dá imunidade contra patentes. Só lhe dá imunidade contra processos da Microsoft, e eu não acho que esta seja a ameaça. A Microsoft não vencerá uma guerra de patentes, então não acho que começarão uma.

Quem seria o agressor?

Tipicamente seria uma pequena empresa que não faz nada além de ter patentes.

.

O site que publicou a entrevista também disponibilizou o áudio dela, para os interessados em saber mais detalhes.

Interessado em aprender mais sobre o Ubuntu em português?
http://wiki.ubuntu-br.org/ComeceAqui

Uma opinião sobre “Mark Shuttleworth fala sobre a Microsoft”

  1. Quias patentes, Mr. Gates? Enquanto não falares, tomo como brincadeira de mal do gosto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *