FLISOL 2008 em Maringá!

FLISOL Maringá-PR

Demorou para divulgarmos esse ano, mas estamos com tudo para o FLISOL 2008 aqui em Maringá.

Será novamente no auditório da FADEC/UEM e estaremos lá das 9h às 18h, com palestras, instalação de software livre e demonstração.

Esse ano planejamos montar um espaço para demonstração de jogos feitos em software livre (leia-se “mini lan house”). Se possível, teremos alguns computadores fixos com jogos e um ambiente todo livre para que o público possa conhecer as opções.

Logo abriremos as inscrições. Fique de olho e nos ajude a divulgar. Se você é de Maringá ou de perto (ou de longe, mas quer ajudar a divulgar), coloque um banner em seu site:

FLISOL Maringá-PR

<a href=”http://www.din.uem.br/~noel/flisol” title=”FLISOL 2008 em Maringá-PR”><img src=”http://www.din.uem.br/~noel/flisol/images/flisolmga.jpg” alt=”FLISOL Maringá-PR” /></a>

ou:

FLISOL Maringá-PR

<a href=”http://www.din.uem.br/~noel/flisol” title=”FLISOL 2008 em Maringá-PR”><img src=”http://www.din.uem.br/~noel/flisol/images/flisol2008.jpg” alt=”FLISOL Maringá-PR” /></a>

O terminal te consola?

Estou usando o hardy. Como sempre, as traduções (que por sinal estão cada vez mais completas) estão entre as últimas coisas incluídas. Hoje reparei em algo inusitado. Fui abrir o terminal e o que vi:

Consola

Atualização: “Consola” está certo em Portugal. A tradução em pt_BR já está encaminhada, mas enquanto ela não foi empacotada, algumas coisas aparecem em pt_PT e ficam engraçadas no contexto brasileiro.

Banco assaltado graças a falhas em software proprietário

Na noite passada, uma quadrilha especializada conseguiu invadir um banco em Helsinque, graças a vulnerabilidades encontradas em um software proprietário.

Segundo a assessoria de imprensa do banco, eles têm um contrato com o fornecedor do software responsável pelo travamento das portas e alarmes, a quem vão cobrar uma indenização pelo ocorrido.

A forma de acesso foi descoberta porque os hackers fizeram questão de deixar a sua marca, junto com a lista de vulnerabilidades do software. Segundo eles, apenas um notebook munido de uma placa de rede sem fios foi o necessário para derrubar a segurança do banco.

Veja mais informações, incluindo o código-fonte “vazado” pelos hackers.